Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quinta-feira, 24 de março de 2011

A mão do demônio


Há muitos anos atrás um amigo me disse que no bairro da Mooca (Capital de São Paulo) havia um padre que era famoso por ser exorcista: Padre Miguel Pedroso. Então resolvi conhece-lo. O bairro da Mooca é muito conhecido pelas famosas cantinas italianas e diversidades de pizzarias, e eu adoro massas também.

Encontrei a pequena Capela, hoje Paróquia, e lá assisti a santa missa. Confesso que a figura do Padre que lá estava muito me impressionou: sua aparência calma, seu semblante tranqüilo, suas palavras apostólicas de uma mansidão que jamais havíamos presenciado. Todo o seu sermão fora sobre as mensagens de Fátima e um convite à conversão.

Após a Santa Missa as pessoas faziam filas para serem abençoadas pelo Padre Miguel Pedroso, que abençoava um por um, pacientemente. Eu também entrei na fila.

Após vi duas senhoras arrumando a igreja. Me aproximei de uma delas e fiquei sabendo que as duas eram irmãs da família Aliano. Como eu mostrei interesse, a que abordei me contou que a imagem do altar mor de São Miguel Arcanjo – que era lindíssima - fora trazida da Itália. A Capela fora construída há muitos anos pela Família Aliano, e, somente passou de Capela a Paróquia quando da doação pela própria família à Cúria metropolitana de São Paulo. A sua fundação se deu em 21 de abril de 1960. Desde o início o pároco era o padre Miguel Pedroso, que através dos anos todos ficou conhecido pelos exorcismos que efetuava na paróquia. Pertencendo à ordem Diocesana atendia a doentes e necessitados.

(Posteriormente, o Padre Miguel fora transferido para a cidade de Cotia e lá contribuiu com a fundação do famoso Carmelo lá existente. Depois disso, já na sua velhice, veio a falecer deixando muitas saudades em todos os que o conheceram)

Ela me convidou para assistir a “palavrinha” que o Padre Miguel estava dando à alguns jovens numa casa ao lado da Igreja. E então, mais do que depressa fui para lá.

Ainda peguei o final da conversa. Relato resumidamente o que eu mesmo ouvi o Padre Miguel contar:

Estava em minha paróquia, quando umas pessoas vieram me procurar para exorcizar uma mulher grávida que estava no hospital e que estava assustando até os médicos. Imediatamente me arrumei e fui com a família para o local.

No caminho eles me contaram que ela havia freqüentado um centro espírita e que depois disso, jamais teve sossego: brigas em família, desajustes com filhos, marido perdera o emprego...

Ao chegar no hospital, sem mais demora me dirigi ao quarto onde a grávida estava, já quase para dar à luz. Ao me ver, a mulher começou a se contorcer e a dar urros misturados com
choro e gritos.

Coloquei minha estola, e com a cruz nas minhas mãos iniciei as orações exorcísticas. Ao colocar minha mão sobre a cabeça dela ela gritou com voz bem gutural:

- Tira sua mão, pois ela é minha...

- Deixe esta criatura de Deus em paz – respondi.

E se contorcia toda na cama, com a face toda esbranquiçada e olhos de ódio dizia:

- Eu, legião, quero ela... se não puder leva-la vou levar o que tem no seu ventre.

Minha única resposta, só podia ser:

- Você não pode levar a criança, ela é uma criatura de Deus e a Deus pertence - e continuei com minhas orações, ordenando que esse espírito maligno deixasse a mulher.

Foi então que cuspindo na minha face o demônio deu uma gargalhada estrondosa e urrou:

- Eu não saio dela enquanto minha mão estiver nela...


Estranha essa afirmação. Então ordenei:

- Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, deixe essa criatura, você é um espírito e não tem mão...

O demônio dava gargalhadas e se contorcia de todos os lados.

Ocorre que nessas viradas de cá e de lá a blusa da mulher grávida estava um pouco aberta e eu vi uma corrente no seu pescoço. E nessa corrente havia pendurado uma figa.

Pedi que imediatamente retirassem a figa daquela mulher.

Tão logo retiraram a figa, o demônio a deixou. Eis a mão do demônio.

Todos ficaram aliviados e a mulher pode fazer seu parto normalmente.

Ao confessarmos, precisamos fazer sempre o exame de consciência. E para fazermos bem feito, convém que consultemos sempre um bom livro de catecismo. Amar a Deus sobre todas as coisas significa também que devemos repudiar toda a espécie de superstição.

16 comentários:

  1. Salve Maria!

    Espetáculo de texto, peço permissão para enviá-lo por e-mail aos meus contatos.

    Parabéns seu Blog é especial.

    Giovana Cunha, Blog Santa Mãe de Deus!

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga Giovana, nem precisa pedir.
    Está autorizado toda e qualquer divulgação de minhas postagens.
    Espero que faça bem para as almas.
    Que Nossa Senhora a abençoe
    Jorge

    ResponderExcluir
  3. Jorge, obrigado pelo relato! É uma advertência preciosa para não cairmos nas garras do Maligno. E também nos lembra da importância dos padres exorcistas.

    ResponderExcluir
  4. Olá Jorge, caríssimo irmão em Cristo, Salve Maria!
    Belíssimo texto, eu já participei de um momento de exorcismo em que o espírito maligno perguntou quem eu era e sem que eu falasse, ele falou "tu é o Batista, eu te conheço!" Deu muito trabalho ao Padre. Isto aconteceu num sabado anterior ao Domigo de Ramos. Quando eu fui buscar o Padre ele falou que todo ano acontece isso com ele. E ainda tem gente que diz não acreditar na existência do Maligno, quem pensa assim não acredita na Palavra de Deus.
    DEUS vos abençoe!!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei essa história!

    Conheço muita gente que só piorou de vida depois de frequentar centros espíritas e mexer com essas coisas (principalmente problemas psiquiátricos e de relacionamentos familiares).

    Também conheço gente que resgatou sua paz de espírito e seu equilíbrio após abandonar essas coisas para voltar sinceramente à Igreja.

    Pouca gente tem noção do quanto o espiritismo e outras religiões fajutas fazem mal às almas e às famílias (alvos favoritos do demo).

    A Igreja está certa até nisso!
    A cada ensinamento católico que verifico na prática, mais me entrego à Igreja.

    Pena que a maioria do clero e dos religiosos não é capaz de ensinar isso ao povo nem de praticar isso (pregando com o exemplo).

    Brilhante! Adoro as histórias (e estórias) do Almas!

    ResponderExcluir
  6. Extraordinário e impressionante! Quando criança, havia também um padre na região que eu morava que fazia exorcismo. Era muito famoso pelas suas bênçãos.Lembro-me bem que minha bisavó tinha muita fé e ela ia. Iam de caminhão cheio para ver o Pe. Luciano. Sorte a sua ter estado com um sacerdote desse nível. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  7. Jorge, parabéns por evangelizar através deste blog que tanto acrescenta em nossas vidas.
    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  8. Nossa quem diria q um colar poderia fazer tanto estrago! E olha q vejo mta gente usando mtos simbolos estranhos, principalmente da nova era, em colares,camisetas, mochilas... as pessoas nao tem nossao do mal q pode fazer!! eu uso o escapulario e a medalha de Sao Bento é uma fortissima protecção!!

    ResponderExcluir
  9. Não se diga: "Nossa quem diria q um colar poderia fazer tanto estrago!" Não é um simples colar. É um objeto consagrado ao demônio, por isso exerce uma influência nefasta!

    ResponderExcluir
  10. conheci o pe. miguel
    um santo

    ResponderExcluir
  11. Eu tb conheci padre Miguel.... sempre frequentava a igreja com meus pais.... Até hoje qdo estou muito algustiada, aflita minha mãe le pra mim a oração do exorcismo q ele deu a ela... o alivio eh imediato!
    Alguem sabe a data do falecimento dele e onde o corpo foi sepultado? Gostariamos muito de ir visitar o tumulo....
    Fernanda
    nanda_nand@hotmail.com
    Padre Miguel era muito mais q um padre....
    Obrigada
    Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, boa tarde.

      O Padre Miguel foi sepultado na Cidade de São Roque, no cemitério municipal de lá, é bem próximo do centro da cidade. Abs. Soraya

      Excluir
    2. Soraya, bom dia. agradeço seu comentário e importante informação. Estou preparando ouutra postagem sobre a imagem de madeira policromada de São Miguel Arcanjo que tem no altar mor da Paróquia. Veio da Itália no sec. XIX. Precisamos de padres exorcistas... onde eles estão? Rezemos e aguardemos que venham exorcizar esse mundo que está de "pernas pro ar"...

      Excluir
  12. Sim está em São Roque e muitas pessoas vão ao túmulo rezar e alcançam graças. :)

    ResponderExcluir
  13. Eu também tive a graça de conhecer o padre Miguel. Foi ele quem me batizou e celebrou a minha primeira comunhão. Excelente pessoa. Parabéns pela postagem! Eliselma

    ResponderExcluir